Pesquisa de Público (CCMCUFF)

Nós da equipe do Cineclube Matrizes Clássicas UFF queremos ouvir vocês, nossos espectadores! Por isso, precisamos do feedback de todos aqueles que assistiram e participaram das nossas atividades.  Então, queremos saber entre quais sessões que realizamos do projeto extracurricular Cineclube Matrizes Clássicas UFF te agradou mais até este presente momento? E além de responder nossa pergunta, também terá uma sessão de comentários adicionais para sugestões ou observações que vocês possam quer fazer.

 

 

Sobre a mediadora da sessão Antígona – Renata Cazarini

Renata Cazarini de Freitas é professora de língua e literatura latina na Universidade Federal Fluminense (UFF), campus do Gragoatá, em Niterói. Doutoranda e mestre (2015) em Letras Clássicas pela USP com pesquisa sobre teatro latino antigo e recepção contemporânea.

Possui graduação em Latim pela USP (2012) e graduação em Comunicação Social/Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero (1990).

41508789_2355171568044179_2888143164693020672_n

Integra o Grupo de Pesquisa Estudos sobre o Teatro Antigo USP-CNPq, o Grupo de Estudos da Adaptação e Tradução USP-CNPq, o Núcleo de Apoio à Pesquisa em Etimologia e História da Língua Portuguesa (NEHiLP/USP) e o Núcleo de Tradução e Criação (NTC/UFF).

Tem interesse em dramaturgia elisabetana e contemporânea, além de artes plásticas e museologia. Mantém o seguinte blog sobre encenações de teatro antigo no Brasil: palcoclassico.blogspot.com.br. (texto retirado do perfil da professora pela plataforma Lattes)

Para mais informações sobre a sessão Antígona, clique aqui.

Para mais informações sobre o diretor do filme, clique aqui.

Yorgos Tsavellas – Minibiografia

Yorgos Tsavellas (também grafado Javellas) foi um diretor, roteirista e dramaturgo grego, nascido em 1916 na cidade de Atenas, que foi considerado um dos maiores diretores de sua época pelo crítico Georges Sadoul, ao lado de Cacoyannis.

image-w240

Seu primeiro filme Aplausos (Χειροκροτήματα) foi lançado em 1944 e foi filmado durante a ocupação da Grécia pela a Alemanha. Entre seus filmes mais célebres estão o longa A Falsa Moeda (Η Κάλπικη Λίρα) de 1955 e a adaptação, lançada em 1961, da tragédia de Sófocles Antígona (Αντιγόνη), este último vencendo os prêmios de melhor atriz e de trilha sonora no Festival de Tessalônica no mesmo ano de lançamento.

Em 1964, ele participou do júri do Festival Internacional de Berlim. Yorgos Tsavellas morreu em em 1976, uma década depois do lançamento de seu último longa.

 

Filmografia:

Aplausos/Χειροκροτήματα (1944);

Pessoas Esquecidas/Prosopa lismonimena (1946);

Marinos Kontaras (1948);

O Methystakas (1950);

O Bastardo/O Grousouzis (1952);

Agnes do Porto/I Agni tou limaniou (1952);

O Taxista/ To soferaki (1953);

A Falsa Moeda/I Κálpiki Líra (1955);

O Ziliarogatos  (1956);

Uma Vida que Temos/Mia zoi tin ehoume (1958);

Antígona/Αntigoni (1961);

– I de gyni na fovitai ton andra (1965);

 

Para saber mais sobre nossa sessão de Antígona, clique aqui.

Sessão Antígona 25/10

No mês de outubro retornaremos ao Ciclo Tebano, nome atribuído pela tradição moderna das tragédias de Sófocles que narra os infortúnios da família de Édipo e da cidade de Tebas, com a exibição do filme Antígona (1961) dirigido por Yorgos Tsavellas e estrelado por Irene Papas e Manos Katrakis, respectivamente no papel da personagem título e de seu tio –  Creonte.

 

cartaz antígona

Na trama, logo depois da batalha entre Polinices e Etéocles pelo controle de Tebas,  acabando com a morte dos ambos filhos de Édipo,  o rei Creonte decreta que este segundo seja tratado como um herói – por defender a cidade -, enquanto o primeiro – por querer tomar o trono através da guerra – seja proibido dos ritos funerários por qualquer cidadão. Antígona, sabendo a decisão do tio e temendo pela alma do irmão, reage as ordens reais e sepulta o irmão, culminando em um conflito entre ela e o rei.

A exibição do filme irá ocorrer no Auditório Macunaíma (405B) no Instituto de Letras ás 17 hs, com a mediação da Profª. Renata Cazarini (UFF).

Para saber mais sobre Sófocles, clique aqui, e para ler o texto sobre Sófocles e Antígona que está em nossa biblioteca, clique aqui.

Recomendação – Playlist CCMCUFF

Precisa daquela trilha sonora para ouvir no dia-a-dia ou enquanto faz atividades como andar no ônibus ou estudar para as provas do período?

Vale a pena conferir e seguir a playlist CCMCUFF (Cineclube Matrizes Clássicas UFF), criada por um dos nossos monitores no Spotify. Nela contém, em sua grande maioria,  uma variada seleção de músicas que aparecem em vários filmes para embalar sua vida dentro e fora da faculdade. E o melhor é que ela uma playlist colaborativa, ou seja, você também pode contribuir com as suas trilhas sonoras favoritas!

Aproveitem!

 

Poema sobre Electra – por Philippe Cubas

”Existo, do espólio do rei mais rapa

Clitemnestra em delito leito trepa

Direito de casar no palácio capa

Da Electra sua filha — a que mais se estrepa

 

Aos assassinos expõe cara a tapa

Cuminou ódio a pôr fim a essa cepa

Executar com irmão cada etapa

Da vingança. Até lá vive de xepa.

 

Agamemnôn fez coração da tripa

Ifigênia imolou por bem da tropa

Navegar a Ílion. Situação preocupa

 

Volver. Casal, fim do herói antecipa

Por vingança e sedução ao crime topa

Em apa epa ipa opa upa”

*Poema recitado pelo próprio autor na sessão de Ifigênia ocorrida no dia 27/09/2018.

9f7eb1d8-1640-4aa3-9e8d-e1d84c8f61f7

Philippe Cubas é o nome artístico de Philippe Thorp, que é, até o momento desta postagem, graduando da UFF em Português/Grego (Bacharelado).

Sobre o mediador da Sessão Electra – Ulysses Maciel

Ulysses Maciel da Oliveira Neto possui graduação em Comunicação/Jornalismo pela UFRJ e em Letras pela UERJ.

20171208_201122

Foi também na UERJ, com ênfase na pesquisa entre literatura e cinema, em que o Prof. Ulysses fez seu mestrado (Em busca da imagem perdida: A literatura que se escreve com água e grão) e doutorado (O cinema trágico poético de Pier Paolo Pasolini: Medeia, Édipo Rei e Appunti per un’Orestiade africana).

Logo após de ter conseguido o doutorado, Ulysses exerceu o cargo de Professor Adjunto II em Literatura Comparada na UFOPA (Universidade Federal do Oeste do Pará) entre os anos de 2010 e 2016.

Para saber mais sobre a nossa sessão de Electra, clique aqui.

Para saber mais sobre o diretor do filme, clique aqui.

 

Sessão Electra 27/09

Para concluir com a nossa exibição do Ciclo Cacoyannis, anteriormente exibimos os filmes Ifigênia e As Troianas – em junho e julho respectivamente -, iremos exibir no dia 27/09, o último filme desse Ciclo, Electra (1962) com Irene Papas como a personagem título.

cartaz electra 001

Baseada na peça de Eurípides, depois da morte de Agamêmnon, que retornou da Guerra de Troia, por Clitemnestra – sua esposa – e Egisto e do sumiço de seu irmão – Orestes -, Electra cresce trancafiada no palácio de Micenas até um dia em que sua mãe a expulsa do palácio e a casa com um humilde fazendeiro. Embebida de dor e ressentimento, Electra espera com a chegada de Orestes para que seus desejos de vingança contra aqueles que assassinaram seu pai possam finalmente acontecer.

A sessão irá ocorrer no Auditório Macunaíma às 17h no dia 27/09 e terá a mediação do Prof. Ulysses Maciel.

Para saber mais sobre Cacoyannis, só clicar aqui.

Para saber mais sobre Eurípides, só clicar aqui.

Denis Villeneuve – Minibiografia

Denis Villeneuve é um diretor e roteirista franco-canadense,  nascido em 1967. Ele estudou na Universidade de Quebec em Montreal e lançou seu primeiro longa metragem no final dos anos 90, depois de ter feito só alguns curtas metragens.

220px-denis_villeneuve_by_gage_skidmore

No entanto, só foi quando ele lançou seu quarto longa, Incêndios (2010), que o diretor foi reconhecido mundialmente com o sucesso do filme. Por causa de todo o reconhecimento que recebeu, as portas foram abertas ao diretor em Hollywood, se tornando um dos diretores mais queridos da década com filmes como A Chegada e Blade Runner 2049.

Filmografia:

32 de agosto na Terra (1998)

Redemoinho (2000)

Polytechnique (2009)

Incêndios (2010)

Prisoneiros (2013)

O Homem Duplicado (2013)

Sicario: Terra de Ninguém (2015)

A Chegada (2016)

Blade Runner 2049 (2017)

 

Para acessar sua bibliografia completa, acesse aqui.

Para saber mais sobre o filme e a nossa sessão especial de Incêndios, clique aqui.

Sessão especial de Incêndios no XXV Seminário de Estudos Clássicos UFF

Entre os dias 10 e 13 de setembro irá ocorrer o XXV Seminário de Estudos Clássicos UFF, evento que tenta promover o interesse –  através de palestras, mesas de conferências e minicursos –  pela Antiguidade Clássica. Como o Cineclube de Matrizes Clássicas  nasceu na  gênese do Seminário, o nosso projeto não podia ficar de fora dessa celebração aos estudos clássicos.

No dia 10, iremos exibir o filme Incêndios (2010) de Denis Villeneuve, adaptação cinematográfica da peça de mesmo nome de Wadji Mouawad e indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

Incendios filmes Denis Villeneuve Incendies

Com base no mito de Édipo, Jeanne (Mélissa Désormeaux-Poulin) e Simon (Marwan Maxim) são irmãos gêmeos e acabaram de perder a mãe, Nawal Marwan (Lubna Azabal). Eles vão ao escritório do notário Jean Lebel (Rémy Girard) para saber do testamento deixado por ela. Ao tentar realizar o último pedido de sua mãe, começam a descobrir o passado dela que eles nem sabiam muito sobre, envolvendo um conflito entre cristãos e muçulmanos.

A sessão irá acontecer às 18 hs no Auditório Macunaíma (405B|Instituto de Letras) e a mediação do filme será feita pela Profª Renata Cazarini (UFF).

Pedimos a todos que irão a sessão que façam  a inscrição prévia no site do Seminário, para não só aproveitar a sessão, mas também as outras atividades oferecidas no evento. Para se inscrever, clique aqui.

Nós possuímos em nossa biblioteca textos sobre Édipo, para acessar clique aqui.